marketing

Trabalho sobre o naming dos estádios

Disponível no Marketing Portugal

Real Madrid_PM
No dia 26 de Dezembro foi publicado no DN um trabalho sobre o naming dos estádios, a propósito das negociações do Real Madrid para o Santiago Bernabéu, com o qual tive o prazer de colaborar.

Algumas notas que suportaram este trabalho:

1- O Real Madrid é um excelente exemplo de uma Marca desportiva que vai muito para além do desporto. Desde cedo que se assume como uma “potência” empresarial capaz de pagar jogadores apenas com a venda de direitos de imagem ou merchandising.

2- É normal que os clubes procurem novas soluções para dar visibilidade aos seus patrocinadores. Há estudos que levantam sérias dúvidas sobre a eficácia dos patrocínios no mundo desportivo e, numa altura em que o consumidor é “bombardeado” por milhares de  Marcas por minuto, é normal que se procurem alternativas

3- Ter o naming de um estádio conhecido, é seguramente uma das formas mais agressivas e eficazes para promover o relacionamento entre uma Marca e os adeptos de um clube contudo, criar mecanismos para medir o ROI é fundamental em todo o processo

4- O “nome” de um estádio, geralmente, tem uma componente emocional muito forte junto dos adeptos como tal, qualquer alteração ao mesmo deve ser muito bem ponderada e os benefícios têm que ser evidentes

5- O sucesso ou insucesso de uma aposta destas pode depender de vários factores. Desde a  estratégia que o patrocinador vai adoptar, da forma como o clube vai envolver os seus adeptos e dos resultados que vão surgir fruto dessa decisão (para além dos financeiros)

6- Este assunto nunca será consensual

7- As Marcas que investem em patrocínios devem estar conscientes para o impacto negativo que podem causar junto dos “não adeptos” de um clube como tal, devem accionar outros mecanismos para chegarem a esse “target”.

9-  O fanatismo tem destas coisas e é transversal a todas as decisões de “endorsement” por exemplo, como será percepcionada uma Marca que apoia o Cristiano Ronaldo e não apoia o Messi? Que dirão os fãs do Messi?

10- Marcas desejadas a cooperar tornam-se mais fortes e diferenciadoras

Ronaldo e Pepsi juntos em campanha solidária

casa dos rapazes

Parece que vamos ter o Ronaldo e a Pepsi juntos em campanha solidária. Parece que a “brincadeira” da Pepsi saiu cara (pode ser que o ROI surpreenda).

Dia 8 de Janeiro, diz Ronaldo no seu Facebook que “Ninguém é perfeito e todos erramos. O mais importante é pedir desculpas e demonstrar que o que sentes é verdadeiro. Por isso… desculpas aceites, Pepsi!”
Reforça ainda que: “E como em Portugal uma acção vale mais que mil palavras, temos estado a trabalhar no apoio a uma causa solidária que desvendaremos em breve. Fiquem atentos!

No dia 9 de Janeiro, reforça com a mensagem “Hoje é um dia em grande! Em conjunto com a Pepsi concretizámos o nosso apoio a uma causa nobre: completar o financiamento para o projeto de construção das novas instalações da Casa dos Rapazes. Com esta iniciativa os 20 rapazes vão poder contar com uma casa nova e uma área desportiva. Um projeto conjunto que irá mudar a vida destes jovens e de todos os que forem acolhidos no futuro por esta casa.”

Em dois dias o Ronaldo coloca duas atualizações em defesa da Pepsi.

Sinceramente, acho que associar uma ação solidária a este “cenário” foi uma jogada muito interessante contudo, deixo algumas questões no ar:

  • Será mais um caso onde uma situação de crise se transforma em oportunidade?
  • Será que quem diz ter deixado de beber Pepsi voltará a beber?
  • Será que está solução vai gerar uma onda de descontentamento junto dos fãs do Messi?

Vamos ver o que isto vai dar mas se me permitem o desabafo, é fabuloso ver como o digital influência as decisões operacionais das marcas. Espero que este tipo de casos sirvam para o Marketing crescer e para todos nós evoluirmos e aprendermos que os erros podem sair caros e que o digital deve ser encarado com seriedade e não como um ambiente exclusivamente de entretenimento onde vale tudo.

Portugal, Ronaldo, Pepsi e outras coisas..

 

E viva Portugal!

Sobre o resto:

1 – a pepsi perdeu uma grande oportunidade para brilhar em Portugal respondendo com humor à provocação da pepsi sueca. Na minha opinião, deu demasiada importância à coisa e foi demasiado formal..

2 – a versão do hino nacional com guitarra portuguesa (ouvi na tsf no dia do jogo e vi hoje na TV) é fabulosa..

3 – a Seleção Nacional pode aproveitar esta euforia para investir na campanha “eu estou aqui”. Tem tudo para funcionar!

4 – A maioria das pessoas que dizem que vão deixar de beber pepsi por causa disto, provavelmente não bebem Pepsi. Será que os fãs da Pepsi deixarão de consumir?

5- Para além de fãs da seleção e do Ronaldo, muitos críticos são também fãs da coca-cola ou seja, 3 Marcas enormes e globais unidas..

6 – Indiscutivelmente uma Marca global como a Pepsi tem que pensar global e agir localmente. Será que há algum propósito que nos esteja a escapar nisto tudo? Foi ingenuidade de uma das maiores empresas do Mundo?

7 – Muitas pequenas agências têm aqui uma boa oportunidade para criarem um bom conteúdo, que se torne viral, para mostrar o seu trabalho e respetiva criatividade (já tenho visto algumas tentativas interessantes)

8 – O nosso governo teve uns momentos de paz

9 – Vamos ao mundial!!

Dia Mundial da Diabetes: APDP comemora o dia mundial da Diabetes com novo portal

Hoje, dia 14 de Novembro, é o Dia mundial da Diabetes. Aproveito este dia para vos apresentar um trabalho de quase 2 anos, com muitas horas de investigação e muita convicção. Este projecto deu hoje o seu primeiro grande salto.

Isto só foi possível porque desde a sua origem trabalhei com uma equipa empenhada, que nunca deixou de acreditar e sempre soube que conseguiríamos fazer a diferença. Obrigado a todos vocês!

Hoje, divulgamos também a nossa maior aliança. Uma parceria que espero que seja duradoura e muito produtiva. Pela experiência que temos tido com a APDP - Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal – percebemos que connosco está agora uma entidade que representa profissionais de topo. Pessoas altamente qualificadas e motivadas para explorar este novo canal.

As parcerias são fundamentais e é através delas que conseguimos chegar mais longe. Como diz Clarice Lispector “Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado, com certeza vai mais longe.” É esta a nossa mentalidade como tal, sabemos também que a nossa responsabilidade aumentou significativamente.

Sabemos de onde partimos. Sabemos onde estamos. Sabemos para onde queremos ir contudo, estamos conscientes que este percurso ainda agora começou.

Para já, partilho convosco este projecto. Um projecto que considero diferente e único a todos os níveis.

Isto é comunicação em Saúde, isto é aproximar entidades e pessoas, isto é contribuir positivamente para a sociedade, isto é contribuir para melhores indicadores de saúde. Isto é Marketing!

APDP comemora o dia mundial da Diabetes com novo portal 

 

Imagem do Portal

 

A Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal, associação de Diabéticos mais antiga do mundo, em pareceria com a Follow Reference (www.followreference.pt), empresa de Investigação e Gestão de Conteúdos para o Sector da Saúde e criadora do Portal da Diabetes, vai comemorar o dia mundial da diabetes com o lançamento de um novo portal de informação e educação para a saúde.

Estudos recentes demonstram que a Internet cada vez mais influencia o comportamento dos utentes e suas respectivas decisões por isso, torna-se crucial para APDP estar presente neste novo canal garantindo que a informação disponível é credível.

Sendo a APDP uma referência no mundo da Diabetes, no panorama nacional e internacional, tornou-se inevitável este investimento em prol da comunidade. Segundo o Dr. Luís Gardete, presidente desta mesma instituição, “ a APDP já tem feito alguns esforços para chegar à sua comunidade através dos canais digitais contudo, consideramos que este é o momento certo para darmos este passo. A Diabetes tem tido um aumento explosivo nos últimos anos como tal, torna-se fundamental reforçar os nossos esforços para informar e educar a população”

Paulo Morais, responsável da Follow Reference, não esconde a importância desta parceria referindo que “o portal da diabetes já tem um investimento de aproximadamente 2 anos e, desde o primeiro dia que sabíamos que a APDP era um parceiro de excelência para este projecto. Tendo em conta a dimensão da entidade em questão, tínhamos noção que o processo não ia ser imediato, não bastava apresentar uma ideia, tínhamos que apresentar resultados. A nossa metodologia foi fundamental e, depois de muita investigação, de muitos testes e de uma melhoria contínua, sentimos que estávamos preparados para corresponder às expectativas não só do nosso parceiro como da comunidade da Diabetes em geral. Esta fusão faz todo o sentido e tem sido um privilégio para nós trabalhar com a APDP. Criámos uma equipa fabulosa, altamente qualificada, envolvida e motivada com o projecto”

Porquê a Internet?

Dr. Raposo, director clinico da APDP, reforça a importância deste canal mencionado que “queremos chegar às pessoas como tal, temos que estar onde as pessoas estão. Se a Internet tem sido um canal onde as pessoas consomem informação, a APDP quer ter uma presença forte para dar resposta as necessidades da comunidade. Comunicar Saúde é sempre um processo muito exigente e de grande responsabilidade e a comunicação tem algumas particularidades que estamos a estudar. A parceria com a Follow Reference é fundamental neste processo”

Paulo Morais reforça que a Internet é um “veículo” de excelência na comunicação na Saúde por estar disponível “todos os dias, a qualquer hora e em qualquer lugar. A informação tem que estar disponível quando e onde as pessoas precisam.”

O Portal coloca à disposição dos seus utilizadores espaços que visam contribuir para a qualidade de vida das pessoas com Diabetes:

e- COMUNIDADE

Este espaço vai ainda integrar toda a comunidade (pessoas com diabetes e seus familiares, cuidadores, profissionais de saúde, associações, entidades do sector) promovendo a partilha de conhecimento e de experiências.

Este tipo de doença vive muito da comunidade. As pessoas partilham experiências e ajudam-se bastante. Temos acompanhado diversos grupos nas redes sociais onde a partilha de informação é fundamental contudo, também assistimos a algumas partilhas perigosas onde, embora haja boa vontade para ajudar, a informação disponibilizada é incorrecta. Queremos ajudar a comunidade a ter informação credível. Acreditamos que uma população informada é uma população com maior adesão à terapêutica contudo, precisamos de garantir que a informação transmitida é correta.

e- COMUNICAÇÃO

O Portal será uma referência na Comunicação sobre Saúde. A equipa de trabalho do portal investiga, produz e partilha conteúdo credível e referenciado para a comunidade com o intuito de informar e educar a população (com e sem diabetes).

Toda a nossa informação será referenciada e validada por profissionais de saúde.

Iremos adoptar diversos estilos de comunicação em função do público a quem nos estamos a dirigir por exemplo, a “família da diabetes” foi criada a pensar nos mais jovens para que possam aprender sobre a Diabetes de uma forma mais animada e descontraída. Materiais serão disponibilizados para ajudar os pais a partilharem com os seus filhos informação sobre a Diabetes, quer numa perspectiva de prevenção quer numa perspectiva educação.

e- EDUCAÇÃO

Muitas pessoas não tomam as decisões acertadas por não terem a informação correcta como tal, este portal será uma referência a este nível e iremos disponibilizar informação diversa como por exemplo;

  • Conselhos para melhorar estilos de vida
  • Notícias
  • Indicadores (?)
  • Tipos de medicação
  • Sugestões para a gestão da diabetes

e- TV

Estando nós conscientes que o vídeo é uma tendência já para 2014, não podíamos deixar de apostar nesta vertente aprimorando a APDP Diabetes TV. Acreditamos que esta será uma forma diferenciadora para comunicar de forma eficaz e atrativa, conteúdos indispensáveis para a comunidade

Qual o futuro?

É nossa ambição garantir que o projeto não pára, como tal, ir fornecendo com conteúdo credível mas ao mesmo tempo útil para os seus seguidores, será o nosso desafio.

Queremos estar mais próximos como tal, estamos a preparar algumas novidades para o utilizador poder resposta às suas necessidades.

Em breve também teremos uma área  dedicada aos profissionais de Saúde.

Sobre a APDP

A APDP – Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal – é a associação de Diabéticos mais antiga do mundo e é hoje uma instituição de saúde moderna, de referência, sendo simultaneamente uma Associação vocacionada para a defesa dos direitos das pessoas com Diabetes e para uma correta integração das pessoas com Diabetes na sociedade e uma Clínica prestadora de cuidados médicos integrados e diferenciados à pessoa com Diabetes, sem descurar os aspectos formativos e de investigação inerentes à excelência dos serviços prestados.

Toda a informação disponível em www.apdp.pt

Sobre a Follow Reference

A Follow Reference foi fundada em 2011 com o intuito de se tornar uma referência na Gestão e Comunicação de conteúdos em Saúde.

Na sua génese estão mais de 10 anos de investigação na área da gestão de conteúdos para o Sector da Saúde e tem como propósito garantir que o conteúdo criados são credíveis e referenciados.

A Follow Reference integra profissionais de diversas áreas de conhecimento, altamente qualificados, especializados na área da saúde e comunicação com o utente.

Toda a informação disponível em www.followreference.pt

 

Marketing no sector da Saúde

Cada vez mais vejo empresas e organizações do sector da Saúde a investirem no mundo digital.
Estou convicto que para 2014 será um caminho inevitável para muitas entidades, com ou sem fins lucrativos.
Fico contente por isso até porque esta aposta vai fazer com que se procure inovar mais ainda. Só assim se conseguirá fazer a diferença..

O sector da Saúde é um dos mais inovadores como tal, espero que venha ai uma evolução enorme no Marketing Digital ao serviço do sector da Saúde.

A solução vai passar pela integração do Marketing todavia, a “fórmula” ainda está por desvendar.
2013, tem sido muito intenso, com muita investigação a este nível para que em 2014 tudo esteja a funcionar em pleno. Estamos em constante mutação e as tecnologias não param de evoluir (ainda bem!). O ritmo é alucinante..

É a beleza do mercado a funcionar. Vamos a isso!

Plano de Marketing Digital #Hangout

Hangout sobre Plano de Marketing Digital com Vasco Marques.
Desculpem o “eco” mas o Vasco estava a testar novo material.

Vejam também este artigo que pode ajudar: Estrutura base para um plano de marketing 

4 dicas para criar um negócio

Ontem, no âmbito da Pós Graduação em Marketing e Empreendedorismo do IPAM, tive o prazer de ouvir dois oradores a falar de 2 projetos muito interessantes:
1) Restaurante Praceta (Miguel Bernardes)
2) Ecoemotion (Jorge Alfredo Bastos)

Entre muitas coisas que eles partilharam, há 4 pontos essenciais para se ter sucesso na criação de 1 projeto:

1 – Paixão
2 – Conhecer o mercado e identificar aquilo em que somos realmente bons
3 – Não chega pensar diferente, é preciso FAZER diferente
4 – Foco no cliente
5 – Criar uma história para contar (+ emoção, – razão)

O mais engraçado é que estes 4 pontos servem para qualquer empresa/organização e são referenciados em muitos livros. A diferença está na forma como cada um trabalha estes pontos e é esta “pequena diferença” que faz com que se criem projetos únicos e difíceis de copiar.

Marketing Farmacêutico: Marketing contra a crise

Foi com prazer que colaborei com a edição nº 64 da revista Marketing Farmacêutico onde tive oportunidade de abordar temas relacionados com as tendências de Marketing para 2013.

Vale a pena ler o artigo com a colaboração de outros colegas como Nuno Nunes, Pedro Miguel Barbosa e Pedro Celeste.

Como o bom senso pode mudar a perspectiva no Marketing

 

O ”bom senso” é seguramente um dos conceitos mais importantes para quem trabalha na área do Marketing contudo, é um conceito demasiado complexo.

Como li algures: Como se mede o bom senso? Com bom senso..

Não dominar as técnicas de Marketing mas tendo bom senso, poderá garantir o sucesso.
Dominar as técnicas de Marketing sem o dito “bom senso”,  pode levar ao fracasso.

A subjectividade do conceito  obriga-nos a “pensar com a cabeça” do nosso target.

O bom senso pode mudar a nossa perspectiva:

Perspectiva da empresa Perspectiva do cliente
Produto (product) Necessidades e desejos do consumidor (Consumer wants and needs)
Preço (price) Custo (cost)
Comunicação (promotion) Comunicação (communication)
Distribuição (place) Conveniência (convenience)

 

 

Steve Jobs sabia o que estava a dizer..

“Your work is going to fill a large part of your life, and the only way to be truly satisfied is to do what you believe is great work. And the only way to do great work is to love what you do. If you haven’t found it yet, keep looking, and don’t settle. As with all matters of the heart, you’ll know when you find it” (Steve Jobs)

Identifico-me a 100% com esta frase. Penso que as pessoas se acomodam em demasia ao que têm, mesmo estando insatisfeitas. Se têm um emprego que não gostam e não fazem nada para mudar porque é um emprego estável, lamento ser eu a dizer isto mas hoje em dia não há empregos estáveis. Muitos profissionais “intocáveis” têm sido despedidos, independentemente dos motivos.

Compreendo que há contas para pagar e compromissos assumidos mas, sinceramente, vida só há uma e se não vivemos felizes e realizados, tudo se torna mais complicado.

O meu trabalho, tal como refere Steve Jobs, ocupa grande parte da minha vida e o vosso? Estão profissionalmente  felizes e realizados? Espero que sim, não aceitem outra resposta.

Não somos todos iguais porém, somos todos seres humanos com desejos de realização pessoal. Todos devíamos ter oportunidade para saborear tudo de bom que a vida tem para nos dar. Nem sempre é possível, nem sempre é fácil, mas temos que tentar. Só depende de nós.

Se for o vosso caso, se estão insatisfeitos, procurem uma alternativa. Costumo dizer que a melhor altura para empreender é quando estamos empregados porque não dependemos da nossa “loucura”. Se estão desempregados, a questão para mim já nem se coloca, o pior (para mim claro!) é mesmo ficar parado.

Como dizia o nosso Raul Solnado, “Façam o favor de ser felizes”

 

Seminário: O investimento de Capital de Risco em Portugal

Seminário integrado na 2ª Edição da Pós Graduação / Executive Master em Marketing e Empreendedorismo

Tema: O investimento de Capital de Risco em Portugal

Sendo hoje consensualmente aceite que a promoção do Empreendedorismo e a criação de empresas estão diretamente relacionados com o desenvolvimento sócio-económico que se pretende para Portugal, assistimos felizmente a um número crescente de promotores com ideias com potencial e com vontade de criar o seu próprio negócio. São, no entanto, vários os obstáculos que os promotores encontram, sendo um dos principais a sua capacidade de investimento e mesmo de captação de investimento junto dos meios tradicionais.
O capital de risco assume-se como uma alternativa interessante para capitalizar PME’s em especial pela dificuldade que estas encontram nas suas fases de criação, desenvolvimento e mesmo crescimento.

Tópicos a abordar:

  • Partilha de risco em parceria
  • Instrumentos de investimento
  • Gestão estratégica do capital
  • 2º Call for entrepreneurship da Portugal Ventures
  • Áreas prioritárias
  • Etapas do processo

Orador: Fernando Peres Pereira: Tem 14 anos de experiência em Venture Capital e na Indústria de Private Equity. Organizou e viabilizou vários investimentos de private equity para empresas em fase de turnaround e expansão. Mais recentemente, tem-se especializado em start-up e expansão de projectos no domínio das TIC e Ciências da Vida e é atualmente membro da equipa da unidade de negócios Venture Capital da Portugal Ventures.

Dia: 7 de Fevereiro

Local: IPAM Porto, Auditório

Horário: 18h00 – 19H30

Entrada livre, mediante confirmação até dia 05 de Fevereiro, para Andreia Silva (andreia.filipa@corporateeducation.pt )

Auditório com capacidade para 150 pessoas. Reserve já o seu lugar.

Meios & Publicidade: Entrevista sobre o caso Samsung

Ver em formato PDF (disponível para download) - Gestão de Crise: Entrevista sobre o caso Samsung 

Meios & Publicidade, publicação nº 685

Tem conseguido fazer com que a sua “ausência” seja sentida?

“Não viva para que a sua presença seja notada, mas para que a sua falta seja sentida…”

(Bob Marley)

Isto é particularmente importante no mundo dos negócios.  Uma empresa que consegue fazer com que a “sua falta seja sentida” é uma empresa que tem uma “arma” de negociação muito forte e sabe que a variável preço não será a variável mais relevante para o cliente.

Uma empresa que consegue fazer com que a sua falta seja sentida, é uma empresa que cria verdadeiro valor para o seu cliente e, muitas vezes o seu cliente só percepciona isso quando “perde” o fornecedor e fica à deriva.

Se a vossa empresa faz falta, a negociação está do vosso lado!

A nível pessoal acontece precisamente o mesmo. Se pararmos para pensar e chegarmos à conclusão que se sairmos da nossa empresa ninguém vai sentir a nossa falta das nossas competências, é porque não somos verdadeiramente valiosos e importantes para a empresa e a qualquer momento podemos ser substituídos. Somos apenas um número, sem qualquer emoção.

Os colaboradores que fazem, verdadeiramente, falta às empresas não tem os seus postos de trabalho em risco e, quando têm, saem muito bem referenciados e com capacidade para negociar condições de trabalho. Por outro lado, um colaborador que é igual aos outros, que não se diferencia, fica sujeito às condições impostas pela empresa.

Fica o tema para reflexão.

Coopetição: Está a olhar para a sua concorrência da forma correta?

 

É normal que muitas empresas olhem para a sua concorrência como “alvos a abater” contudo, em muitos casos os concorrentes têm atributos que podem complementar os nossos.

coopetição (cooperação + competição) é sem dúvida um caminho a ter em conta numa conjuntura atribulada onde a optimização de recursos é palavra de ordem.

Através da coopetição podemos:

  • Explorar novos mercados (internacionalização)
  • Atingir novos segmentos
  • Optimizar recursos
  • Aumentar a nossa capacidade de resposta
  • Aumentar a nossa oferta
  • Ser mais eficaz
  • Identificação de oportunidades e ameaças

Questionem-se sobre:

  1. Quais as vantagens competitivas dos concorrentes?
  2. Qual a cultura organizacional dos seus concorrentes?
  3. O que posso “dar” aos meus concorrentes que eles não têm?
  4. O que é que os concorrentes me podem dar?
  5. O que faria (projetos) se tivesse recursos a dobrar ou a triplicar?
  6. Estou preparado para ter uma relação de confiança com um concorrente?
  7. Estou disposto a partilhar “know how”?

Importa referir que as empresas têm realmente que estar preparadas para dar este passo. A transparência e o compromisso são valores fundamentais.

Por experiência própria posso adiantar que a coopetição é bastante mais valiosa que a competição (que na verdade continua a existir mas de forma mais saudável).

 

 

Porque é que muitos produtos fracassam?

Podem haver diversos motivos, partilho aqui alguns:

•Falta de diferenciação

•Falta de definição do mercado e do produto

•Pouca atractividade do mercado

•Má implementação do Marketing – Mix

•Pouca qualidade do produto nos factores críticos

•Mau timming